Sintonia On Line

Radialistas cobram posição da CUT quanto a Rede TV!

A intenção da Cut em utilizar uma emissora de televisão para divulgação de suas idéias e lutas em um programa de televisão, merece o aplauso de todos. No entanto, os sindicatos de radialistas de São Paulo e Pernambuco, adotaram posição de repúdio frente a Central, por esta ter firmado contrato, justamente com a Rede TV!, De acordo com informações dadas em documentos oficiais por estas entidades, a Rede TV! descumpre as leis que regem os trabalhadores em comunicação. Diante disso, uma carta pública cobra da CUT um posicionamento pelo fato desta não ter consultado os sindicatos de trabalhadores nos meios de comunicação.

Neste documento, se denuncia que “a Rede TV!, dos Srs. Amilcare Dallevo Jr. e Marcelo de Carvalho Fragali, não cumprem o acordo firmado com os sindicatos de trabalhadores Radialistas e Jornalistas dos Estados de SP, RJ, DF, MG, PE e suas respectivas Federações FITERT e FENAJ. Também não cumpre pagamento das dívidas trabalhistas e salários atrasados dos funcionários da antecessora Rede Manchete como era previsto no contrato para assumir o controle e a concessão do canal que a família Bloch era detentora. Essa mesma empresa recusa-se a cumprir decisões judiciais que reafirmam a REDE TV! como sucessora da Rede Manchete e, portanto devedora das suas obrigações trabalhistas. Além disso, a emissora escolhida para veicular programa de nossa Central desrespeita sistematicamente as Leis que regulamentam as profissões de Radialistas e Jornalistas e não cumpre sequer com as obrigações trabalhistas com seus funcionários. A saber:”

Não recolhe Fundo de Garantia por Tempo de Serviço;

Não repassa ao INSS a contribuição recolhida de seus trabalhadores;

Não paga as horas-extras realizadas pelos trabalhadores;]

Não paga as rescisões contratuais nos casos de demissões e, 

Até mesmo demite dirigentes sindicais e cipeiros, entre outras irregularidades.

“Por isso, os trabalhadores, através de suas entidades sindicais, já se dirigiram várias vezes ao governo FHC e agora ao governo Lula além do Congresso Nacional, responsáveis pela concessão pública de Rádio e TV no país, para que obriguem os Srs. Amilcare Dallevo Jr. e Marcelo de Carvalho Fragali a pagarem as dívidas trabalhistas ou então que seja cassada a concessão, mantendo, no entanto, a rede em funcionamento para garantir os empregos até que uma solução definitiva seja tomada.”

“Nessa antiga luta, sempre contamos com o apoio de nossa Central e, em defesa da independência da CUT frente aos patrões e ao governo para continuarmos fortalecendo nossa batalha em defesa dos direitos dos trabalhares que marcaram a fundação e a trajetória de nossa Central, não podemos aceitar que a Rede TV! seja a emissora escolhida para se firmar um contrato de veiculação do programa TV CUT!”

“Reafirmamos ainda que sempre, ao lado da CUT, levantamos a bandeira da democratização dos meios de comunicação e pelo fortalecimento das TVs públicas e estatais de nosso país. TVs que consideramos deveriam ser as escolhidas para a veiculação do programa TV CUT.”

“Em qualquer caso, não pode um programa da CUT, que tem como objetivo lutar pela garantia dos direitos dos trabalhadores, ser veiculado em qualquer emissora sem deixar de divulgar, também, a luta dos trabalhadores de rádios e TVs e, em particular, a luta dos trabalhadores da Rede TV!/Manchete.”

“Como Sindicato filiado à CUT, nos sentimos obrigados a cobrar esclarecimento detalhado dos termos do contrato firmado entre a nossa Central e a Rede TV!, bem como qual empresa está produzindo o programa.”

O documento finaliza, solicitando que a carta seja divulgada a todas as entidades filiadas à Central, através dos órgãos internos de informação para que esta questão, pela relevância que possui, seja debatida o mais amplamente possível dentro de nossa Central. Também se colocam à disposição para o debate com a certeza que essas considerações serão levadas em conta.